sábado, 4 de abril de 2015

Boca do Inferno em Cascais

A Lenda...

"Há muitos e muitos anos atrás, na zona que é hoje conhecida como "Boca do Inferno" em Cascais, existia um castelo onde habitava um homem de aspecto feroz, que se dedicava à feitiçaria.
Um belo dia o homem decidiu que devia casar-se e escolher a mulher mais bela das redondezas.
Para isso consultou a sua lâmina de cristal de rocha para que esta lhe indicasse onde a ir buscar.

Quando os seus cavaleiros voltaram com a donzela, o homem ficou estupefacto. 
A jovem era ainda mais bela do que alguma vez imaginara. Ficou, imediatamente, apaixonado e de tão ciumento que ousassem olha-la, decidiu escondê-la para preservar o seu amor.

Fechou-a na torre mais alta e solitária do castelo e escolheu para guardião o seu cavaleiro mais fiel. 
A jovem lá no alto da torre sentia-se muito só e o seu guardião não menos. 
Tinham por única companhia o mar e as marés.
Um dia, a curiosidade do cavaleiro foi mais forte do que ele, que se perguntava a toda a hora quem seria aquela mulher e porque estava encerrada na torre há tanto tempo? Como seria ela? De chave na mão decidiu subir a escadaria.
Junto à porta o cavaleiro parou para recuperar o fôlego e tomar coragem para entrar.
No fundo não sabia o que iria encontrar Quando a abriu ficou espantado...quanta beleza!

Apaixonaram-se e a partir daquele dia partilharam os momentos de solidão, nascendo, assim, um enorme amor entre os dois. 
Um dia planearam fugir juntos, esquecendo-se que o feiticeiro através da sua magia via tudo.
Montaram no cavalo branco do cavaleiro e cavalgaram os dois pelos rochedos junto ao mar.
Enquanto isso, o feiticeiro no castelo, cheio de raiva e de ciúmes, criou uma tempestade assustadora que fez com que os rochedos, por onde os dois amantes caminhavam, se abrissem como se fosse uma grande boca infernal. 
E reza a lenda que cavalo e cavaleiros foram engolidos pelas águas, tendo desaparecido para sempre.
O buraco esse, nunca mais se fechou e daí o povo começou a chamar-lhe a "Boca do Inferno" e ficou até hoje.

É um local de incomparável beleza e para quem não conhece e passar por Cascais, deve fazer uma visita obrigatória. 




Nazaré

Uma linda e pacata cidade à beira-mar, com uma vista deslumbrante.

São diversas as atrações na cidade mas, o mais interessante é, sem dúvida, o Sítio da Nazaré. É uma parte da cidade localizada em cima de uma enorme falésia, com vista privilegiada e deslumbrantes sobre a cidade e a praia.
No Sítio da Nazaré existe também o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré e a Capela de Nossa Senhora da Nazaré.

Nesta mesma zona existe o Forte de São Miguel Arcanjo de onde se pode ver a Praia do Norte uma praia com grandes ventos e ondas, propícia à prática de surf, kitesurf, windsurf e bodyboard. Quem não ouvir falar desta praia e da onda gigante surfada por Garrett McNamara???





Buddha Eden Garden - Jardim da Paz no Bombarral

Magnífico e singular são alguns dos adjetivos que definem este jardim tão pouco falado no nosso país.

O Buddha Eden Garden, também chamado de "Jardim da Paz" conta com 35 hectares idealizados e concebido pelo comendador José Berardo após a destruição maciça dos enormes budas em Bamyan (Afeganistão), em 2001, pelo governo Talibã, naquele que foi, um dos maiores actos de barbárie cultural, apagando da memória obras primas, do período tardio da Arte de Gandhara.

"Em 2001, profundamente chocado com a atitude do Governo Talibã, que destruiu, intencionalmente, monumentos únicos do Património da Humanidade, o Comendador Berardo deu início, a mais um, dos seus sonhos, a construção deste extenso jardim oriental. Prestando, de certo modo, homenagem aos colossais Budas esculpidos na rocha do vale de Bamyan, no centro do Afeganistão, e que durante séculos foram referências culturais e espirituais. 

Pretende-se, que o Buddha Eden Garden seja um lugar reconciliação. Sem nenhuma tendência religiosa, abrimos as portas, a todas as pessoas, independentemente, da religião, etnia, nacionalidade, sexo, idade, condição cultural ou social, convidando à união, comunicação e meditação, como forma de redescobrir a felicidade. Ambicionamos, assim, percorrer o caminho contrário à destruição do ser humano e disseminar a cultura da paz. 

Esta é uma instituição cultural sem fins lucrativos e ao serviço da comunidade nacional e internacional, que tem como missão sensibilizar o visitante para o conhecimento interior, através do seu jardim em diálogo com um vasto património escultórico, vocacionado para a meditação e promoção da interacção social e cultural, conforme os princípios da solidariedade e da dignidade humana." texto retirado da página do Facebook do Buddha Eden Portugal.

A visita ao espaço custa 2,50€ (gratuita até aos 12 anos) e está aberto das 09H30 às 18H30.
Existe um comboio que faz a visita parando em pontos chave por vários minutos e custa 3€.
















quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz 2015


A LUZ do Natal...

O inverno torna as pessoas mais frágeis. 

Nas ruas encontramos menos pessoas, menos animação e menos coisas que fazer ao ar livre.
Nesta época festiva... há um chamariz na rua... a cor, a luz do Natal: AS ILUMINAÇÕES DE NATAL!

É com imensa alegria que passei os últimos dias no norte de Portugal, onde a luz do Natal está presente, na mais pequena aldeia e até na mais fria cidade se vive o Natal nas ruas... Guimarães, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez, Valença, Caminha, Viana do Castelo, Vila do Conde... 

No entanto, é com uma profunda tristeza que regresso às ruas da minha cidade e me pergunto: É Natal???? 
Há alguns anos (poucos) saía à rua nas noites frias para ver e sentir a magia do Natal, chegava a comentar que se gastava imenso dinheiro nestas iluminações, não havia necessidade de tanta luz... era muito bonito mas era demais! Agora passa-se do oito ao oitenta... e, exceptuando a Câmara Municipal, não se vê nada!!! 

Seria um gasto excessivo uma iluminação em cada rotunda? Uma simples estrela luminosa à entrada de cada rua principal? Um "Boas Festas" nas entradas da cidade?

Concordam comigo? Ou estarei a dar importância a coisas supérfluas?